Tratamento do Ronco e Apneia do Sono

O ronco e apneia do sono são doenças graves que geram sérios prejuízos para a saúde física, mental e psicológica do paciente e seus familiares.

Pesquisas recentes comprovaram que 46% das pessoas entre 30 a 70 anos sofrem dessa doença, que é tecnicamente chamada de Síndrome da Apneia e Hipopneia Obstrutiva do Sono.

Sono Normal

Via aérea normal

(com espaço para entrada de ar)

causa ronco apneia
roda

Ronco e Apneia do Sono

Via aérea obstruída

(SEM espaço para entrada de ar)

causa ronco apneia
roda

O ronco e apneia do sono são doenças graves que geram sérios prejuízos para a saúde física, mental e psicológica do paciente e seus familiares.

Pesquisas recentes comprovaram que 46% das pessoas entre 30 a 70 anos sofrem dessa doença, que é tecnicamente chamada de Síndrome da Apneia e Hipopneia Obstrutiva do Sono.

 

O ronco e a apneia são diferentes, mas ambos geram impactos negativos na saúde.

O ronco ocorre quando o indivíduo tenta respirar durante o sono, mas a orofaringe (região da garganta) está parcialmente obstruída pela epiglote, base da língua e palato mole. Essas estruturas fazem um bloqueio parcial para a entrada do ar e, quando o indivíduo “puxa o ar” essas estruturas vibram e fazem o “barulho” do ronco. Dessa forma, pode-se dizer que o ronco é produzido pela vibração dos tecidos da garganta durante a passagem do ar.

A apneia ocorre quando essas mesmas estruturas (epiglote, base da língua e palato mole) realizam a total obstrução da orofaringe, impedindo completamente a passagem do ar.
Essa situação é muito grave e pode levar à morte. Alguns pacientes permanecem até 60 segundos ou mais sem respirar.

A Dra. Marina Lara é autoridade mundial na Odontologia do Sono e já ministrou cursos e palestras em vários países sobre o tema. Assista os vídeos a seguir:

Doenças causadas pelo Ronco e Apneia do Sono

Confira abaixo todas as doenças graves que estão correlacionadas com o ronco e comprovadas cientificamente. Isso significa que o risco de desenvolver estas doenças é aumentado em 30 a 70% nos pacientes que roncam em relação aos que têm um sono saudável. Veja a lista abaixo:

amarelo
vermelho
verde
causa ronco apneia
lilas
lilas
problemas ronco apneia 06
problemas ronco apneia 04
problemas ronco apneia 03
problemas ronco apneia 02
problemas ronco apneia 01
amarelo
Depressão e dores de cabeça;

O desgaste crônico do cérebro pela falta de oxigênio altera o seu funcionamento.

amarelo
Perda da memória e da cognição
Mal de Alzheimer;

Sono de qualidade é fundamental para armazenar informações.ra o seu funcionamento.

amarelo
AVC;​

Acidente Vascular Cerebral.

vermelho
Doenças cardíacas graves;

Arritmia, Infarto, hipertensão arterial, hipertensão arterial, morte súbita, parada cardíaca.

verde
Obesidade e síndrome metabólica;​

Alto risco de diabetes tipo II, redução dos hormônios da saciedade, aumenta o açúcar no sangue, altera funcionamento do pâncreas.

verde
Acúmulo de gordura no fígado;​

A falta de oxigênio altera o fígado.

causa ronco apneia
Disbiose intestinal;​

A falta de oxigênio mata as bactérias “boas” do intestino.

lilas
Impotência e redução da libido;​​

Redução precoce e acentuada na produção de testosterona e demais hormônios sexuais.

amarelo
lilas
Fadiga muscular crônica e alto risco de lesões articulares;

A falta de oxigênio lesiona os músculos e as articulações.

5 Verdades sobre o Ronco e Apneia do Sono

  1. O ronco é motivo de piada.
  2. O ronco é motivo afastamento social, divórcio e depressão.
  3. O ronco causa hipertensão, infarto e AVC (acidente vascular cerebral).
  4. O ronco causa obesidade, diabetes, câncer e redução da inteligência.
  5. O ronco pode ser tratado no cirurgião-dentista com o aparelho intra-oral individualizado.
2 5 verdade sobre ronco e apneia do sono

1. O ronco é motivo de piada.

✅ Verdade! É comum os parceiros brincarem com o tema. Se ambos levam numa boa as piadinhas, tudo bem. Porém, é importante saber que, mesmo podendo ser motivo de piada, o ronco é o uma doença séria que pode antecipar a morte, tendo conexão com os eventos de morte súbita. 1, 2. 

2. O ronco é motivo afastamento social, divórcio e depressão.

✅ Verdade! Se o seu parceiro impede você de ter uma boa noite de sono, ou você está impedindo seu parceiro de ter uma boa noite de sono devido ao seu ronco alto, algo precisa mudar. Nos últimos anos, a taxa de divórcio no Brasil aumentou em 40% e em muitos casos o afastamento físico (dormir em quartos separados) representa o começa da desavenças e redução da tolerância mútua. Para alguns casais, dormir separados pode beneficiar seu relacionamento, enquanto para outros pode prejudicar seu relacionamento. No entanto, se você continuar dormindo na mesma cama e dormir mal, certamente ambos terão dias ainda mais estressantes pela frente. Dormir bem é viver bem. A privação do sono reduz entre 30 a 80% a tolerância emocional, levando muitos roncadores, ao longo do tempo, à depressão severa e isolamento social. 3, 4.

3. O ronco causa hipertensão, infarto e AVC (acidente vascular cerebral).

✅ Verdade! Já está amplamente comprovado cientificamente, há muitos anos, a relação de causa e efeito entre o ronco e a apneia do sono com o aumento brutal do risco para doenças cardiovasculares. Sabe-se que 85% dos pacientes que sofrem de problemas cardíacos têm algum grau de ronco e apneia. Também está provado que o tratamento para o ronco pode reduzir o uso de medicamentos para controle a hipertensão arterial e evitaria casos de ataque cardíaco em aproximadamente 50% dos infartados. Infelizmente, a comprovação científica ainda não está aplicada na prática clínica de muitos profissionais, que tratam os doentes cardíacos sem nem perguntarem sobre o ronco e apneia do sono. 5, 6, 7.

4. O ronco causa obesidade, diabetes, câncer e redução da inteligência.

✅ Verdade! Aqui temos mais três relações de causa e efeito comprovadas cientificamente. A falta de oxigenação do corpo durante a noite, que acontece nas pessoas de roncam, é devastadora para o organismo humano. Com pouco oxigênio no sangue, estes pacientes desenvolvem uma cadeia de stress metabólico, gerando a degradação de inúmeras células em todas as partes do corpo. Quem passa as noites roncando, sofre uma alteração imensa n sua a produção hormonal, reduzindo a sensação de de saciedade e tendendo a comer muito mais durante o dia. Roncadores tendem a ganhar gordura e desenvolver diabetes ao longo dos anos. Recentemente, a associação com vários tipos de câncer também foi detectada. Além disso, está amplamente comprovado nas pesquisas o devastador impacto do ronco no cérebro humano, como perda de memória, redução da capacidade cognitiva, perda da concentração, raciocínio e aprendizado, tanto em adultos, como crianças e adolescentes. 8, 9, 10, 11, 12, 13, 14, 15, 16.

5. O ronco pode ser tratado no cirurgião-dentista com o aparelho intra-oral individualizado.

✅ Verdade! Ufa, finalmente uma boa notícia! 🙂 Sim, aproximadamente 80% das pessoas que sofrem de ronco e apneia podem ser tratadas com o Aparelho Intra Oral Personalizado que pode ser realizado por um cirurgião-dentista com o conhecimento profundo na área. É fundamental que o profissional domine o tema, solicite exames (polissonografia tipo I, II ou IV) e realize o acompanhamento do paciente por pelo menos 6 meses, pois o tratamento requer ajustes do aparelho, acompanhamento das evoluções e controle da ATM articulação-têmporo-mandibular. 17, 18, 19, 20, 21, 22, 23, 24.

5 Mitos sobre o Ronco e Apneia do Sono

  1. O ronco é normal e irrelevante.
  2. O ronco pode ser resolvido com a perda de peso.
  3. O ronco pode ser resolvido com quinquilharias da internet.
  4. O ronco apenas pode ser resolvido com o CPAP.
  5. O ronco apenas pode ser resolvido com cirurgia no rosto ou no nariz.
1 5 mitos sobre ronco e apneia do sono

1. O ronco é normal e irrelevante.

❌ Mito. Se você leu este texto até aqui, já percebeu que o ronco é extremamente relevante e o tratamento pode salvar a vida de quem sofre dessa doença. Porém, roncar é comum, ou seja, bastante prevalente na população. Uma pesquisa em São Paulo comprovou aproximadamente 40% da população ronca e tem apneia. 25, 26.

2. O ronco é motivo afastamento social, divórcio e depressão.

❌ Mito. Infelizmente, ainda observo muitas pessoas pensarem: “Ah, vou emagrecer e meu ronco vai melhorar…” ou então: “Ah, agora estou roncando porque engordei, mas assim que eu emagrecer o ronco vai desaparecer”. Seria ótimo se fosse possível, mas não é bem assim. Existem características anatômicas específicas que predispõem para o ronco, como tamanho da mandíbula, volume e estruturas da base da língua, palato mole e epiglote. Dessa forma, a perda do peso pode amenizar o problema, mas raramente é a solução definitiva e completa para a doença. Inclusive, a recomendação atual é justamente fazer o contrário: primeiro começar a tratar o ronco e depois começar a perder peso. Isso porque a falta de oxigêncio durante a noite dificulta muito o emagrecimento, já que altera as funções hormonais, reduz a saciedade a aumenta o cansaço e indisposição durante o dia (porque as noites são mal-dormidas). 8, 9, 10, 25.

3. O ronco pode ser resolvido com quinquilharias da internet.

❌ Mito. Travesseiros mágicos, abridores de nariz, aparelhos intra-orais genéricos (que não são feitos especificamente para paciente e acompanhados pelo profissional habilitado), pijamas com bolinha nas costas e outras quinquilharias da internet são apenas caça-níqueis e não conseguem realizar o tratamento adequado para essa doença crônica tão grave e séria.

4. O ronco apenas pode ser resolvido com o CPAP.

❌ Mito. O aparelho chamado de CPAP (Continuous positive airway pressure) é uma das formas de tratar o ronco e apneia do sono. Este equipamento é basicamente uma máscara conectada em um pequeno compressor de ar, que é utilizada durante a noite para gerar pressão positiva de ar e impedir o ronco. Porém, é de difícil adaptação e não é indicada para todos os tipos de pacientes. 17, 18, 19, 20, 21, 22, 23, 24, 26, 27.

5. O ronco apenas pode ser resolvido com cirurgia no rosto ou no nariz.

❌ Mito. Da mesma forma que o CPAP, as intervenções cirúrgicas representam uma das formas de tratar o ronco e apneia do sono. A maior parte dos pacientes que roncam tem obstruções na região da orofaringe e não exatamente na região da cavidade nasal, e, dessa forma, as cirurgias no nariz nem sempre estão indicadas. A melhor recomendação é consultar com vários profissionais especializados, realizar exames e buscar os tratamentos menos invasivos primeiro. 28, 29, 30.

Curso de Especialização para Dentistas

Descubra como se tornar um Cirurgião-Dentista referência no tratamento do Ronco e Apneia do Sono clicando aqui neste link exclusivo para Dentistas:

3 Curso Odontologia do Sono

Referências

  1. CO2-related vasoconstriction superimposed on ischemic medullary brain autonomic nuclei may contribute to sudden death.
    Jaster JH, Zamecnik J, Giannì AB, Ottaviani G.
    Cardiovasc Pathol. 2019 Jan-Feb;38:42-45. doi: 10.1016/j.carpath.2018.10.009. Epub 2018 Oct 26
  2. Pathology of unexpected sudden cardiac death: Obstructive sleep apnea is part of the challenge.
    Ottaviani G, Buja LM.
    Cardiovasc Pathol. 2020 Jul-Aug;47:107221. doi: 10.1016/j.carpath.2020.107221. Epub 2020 Apr 18
  3. Obstructive sleep apnea: neurocognitive and behavioral functions before and after treatment.
    Turner K, Zambrelli E, Lavolpe S, Baldi C, Furia F, Canevini MP.
    Funct Neurol. 2019 Apr/Jun;34(2):71-78.
  4. Obstructive sleep apnea, depression and cognitive impairment.
    Vanek J, Prasko J, Genzor S, Ociskova M, Kantor K, Holubova M, Slepecky M, Nesnidal V, Kolek A, Sova M.
    Sleep Med. 2020 Aug;72:50-58. doi: 10.1016/j.sleep.2020.03.017. Epub 2020 Mar 23.
  5. Obstructive Sleep Apnea and Cardiovascular Disease: A Scientific Statement From the American Heart Association.
    Yeghiazarians Y, Jneid H, Tietjens JR, Redline S, Brown DL, El-Sherif N, Mehra R, Bozkurt B, Ndumele CE, Somers VK.
    Circulation. 2021 Jul 20;144(3):e56-e67. doi: 10.1161/CIR.0000000000000988. Epub 2021 Jun 21.
  6. Obstructive Sleep Apnea, Hypertension, and Cardiovascular Risk: Epidemiology, Pathophysiology, and Management.
    Salman LA, Shulman R, Cohen JB.
    Curr Cardiol Rep. 2020 Jan 18;22(2):6. doi: 10.1007/s11886-020-1257-y.
  7. Sleep Apnea and Cardiovascular Disease.
    Gottlieb DJ.
    Curr Diab Rep. 2021 Dec 13;21(12):64.
  8. Obesity, sleep apnea, and cancer.
    Almendros I, Martinez-Garcia MA, Farré R, Gozal D.
    Int J Obes (Lond). 2020 Aug;44(8):1653-1667. doi: 10.1038/s41366-020-0549-z. Epub 2020 Feb 18.
  9. Obstructive sleep apnea and cancer: a complex relationship.
    Marrone O, Bonsignore MR.
    Curr Opin Pulm Med. 2020 Nov;26(6):657-667. doi: 10.1097/MCP.0000000000000729.
  10. Obstructive Sleep Apnea in Patients with Head and Neck Cancer-More than Just a Comorbidity?
    Seifen C, Huppertz T, Matthias C, Gouveris H.
    Medicina (Kaunas). 2021 Oct 28;57(11):1174. doi: 10.3390/medicina57111174.
  11. Correlation between metabolic syndrome and sleep apnea.
    Castaneda A, Jauregui-Maldonado E, Ratnani I, Varon J, Surani S.
    World J Diabetes. 2018 Apr 15;9(4):66-71. doi: 10.4239/wjd.v9.i4.66.
  12. Sleep and Metabolic Syndrome.
    Chasens ER, Imes CC, Kariuki JK, Luyster FS, Morris JL, DiNardo MM, Godzik CM, Jeon B, Yang K.
    Nurs Clin North Am. 2021 Jun;56(2):203-217. doi: 10.1016/j.cnur.2020.10.012. Epub 2021 Mar 10.
  13. Obesity: global epidemiology and pathogenesis.
    Blüher M.
    Nat Rev Endocrinol. 2019 May;15(5):288-298. doi: 10.1038/s41574-019-0176-8.
  14. Obstructive Sleep Apnea: Cognitive Outcomes.
    Patel A, Chong DJ.
    Clin Geriatr Med. 2021 Aug;37(3):457-467. doi: 10.1016/j.cger.2021.04.007.
  15. The relationship between inflammation and neurocognitive dysfunction in obstructive sleep apnea syndrome.
    Liu X, Ma Y, Ouyang R, Zeng Z, Zhan Z, Lu H, Cui Y, Dai Z, Luo L, He C, Li H, Zong D, Chen Y.
    J Neuroinflammation. 2020 Aug 1;17(1):229.
  16. Obstructive sleep apnea and cognitive impairment: addressing the blood-brain barrier.
    Lim DC, Pack AI.
    Sleep Med Rev. 2014 Feb;18(1):35-48.
  17. Oral Appliances for Snoring and Obstructive Sleep Apnea.
    Mickelson SA.
    Otolaryngol Clin North Am. 2020 Jun;53(3):397-407.
  18. Oral appliances for obstructive sleep apnoea: What can we expect?
    Buiret G, Chidiac F.
    Rev Mal Respir. 2020 Sep;37(7):526-549.
  19. The effectiveness of oral appliances for obstructive sleep apnea syndrome: A meta-analysis.
    Zhu Y, Long H, Jian F, Lin J, Zhu J, Gao M, Lai W.
    J Dent. 2015 Dec;43(12):1394-402.
  20. Oral Appliances for Snoring and Obstructive Sleep Apnea.
    Mickelson SA.
    Otolaryngol Clin North Am. 2020 Jun;53(3):397-407.
  21. Oral Appliances in Obstructive Sleep Apnea.
    Dieltjens M, Vanderveken O.
    Healthcare (Basel). 2019 Nov 8;7(4):141.
  22. Oral appliance therapy in obstructive sleep apnea and snoring – systematic review and new directions of development.
    Ilea A, Timuș D, Höpken J, Andrei V, Băbțan AM, Petrescu NB, Câmpian RS, Boșca AB, Șovrea AS, Negucioiu M, Mesaros A.
    Cranio. 2021 Nov;39(6):472-483.
  23. Oral Appliances in the Management of Obstructive Sleep Apnea.
    Ng JH, Yow M.
    Sleep Med Clin. 2019 Mar;14(1):109-118.
  24. Obstructive sleep apnea and orthodontics: An American Association of Orthodontists White Paper.
    Behrents RG, Shelgikar AV, Conley RS, Flores-Mir C, Hans M, Levine M, McNamara JA, Palomo JM, Pliska B, Stockstill JW, Wise J, Murphy S, Nagel NJ, Hittner J.
    Am J Orthod Dentofacial Orthop. 2019 Jul;156(1):13-28.e1.
  25. Hypoxia-inducible factors and obstructive sleep apnea.
    Prabhakar NR, Peng YJ, Nanduri J.
    J Clin Invest. 2020 Oct 1;130(10):5042-5051. doi: 10.1172/JCI137560.
  26. Prevalence of upper airway resistance syndrome in the São Paulo Epidemiologic Sleep Study.
    Tufik SB, Pires GN, Palombini L, Andersen ML, Tufik S.
    Sleep Med. 2022 Mar;91:43-50. doi: 10.1016/j.sleep.2022.02.004. Epub 2022 Feb 14.
  27. Obstructive sleep apnea: personalizing CPAP alternative therapies to individual physiology.
    Nokes B, Cooper J, Cao M.
    Expert Rev Respir Med. 2022 Aug;16(8):917-929.
  28. Predictors of Continuous Positive Airway Pressure Adherence in Patients with Obstructive Sleep Apnea.
    Mehrtash M, Bakker JP, Ayas N.
    Lung. 2019 Apr;197(2):115-121.
  29. Could Nasal Surgery Affect Multilevel Surgery Results for Obstructive Sleep Apnea?
    El-Anwar MW, Amer HS, Askar SM, Elsobki A, Awad A.
    J Craniofac Surg. 2018 Oct;29(7):1897-1899.
  30. Effect of Multilevel Upper Airway Surgery vs Medical Management on the Apnea-Hypopnea Index and Patient-Reported Daytime Sleepiness Among Patients With Moderate or Severe Obstructive Sleep Apnea: The SAMS Randomized Clinical Trial.
    MacKay S, Carney AS, Catcheside PG, Chai-Coetzer CL, Chia M, Cistulli PA, Hodge JC, Jones A, Kaambwa B, Lewis R, Ooi EH, Pinczel AJ, McArdle N, Rees G, Singh B, Stow N, Weaver EM, Woodman RJ, Woods CM, Yeo A, McEvoy RD.
    JAMA. 2020 Sep 22;324(12):1168-1179.

Compartilhe: